terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Há uma amargura no sorriso que ganha uma doçura triste. As palavras soam como a própria vida. Há uma procura incessante de um sonho perdido, Por onde andas felicidade?... Algures num labirinto, onde eu não consigo decifrar o código da entrada. E gritam as maiores mágoas silenciadas de olhos postos pelo espaço, onde se perdem pelo som de um piano, acompanhado de uma voz rouca e abafada, impetuosa ou pensativa, mas que não chora, apenas disserta musicalmente sobre as dores da sua alma..
Extratos de: Angelna Alves

Sem comentários: