quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

"ESPERANÇA"


Perdi o medo avancei devagar

Por entre as manhãs odor de Inverno

Inundei-me em tão grande beleza

Cheia de esperança eu me revejo

Doce vida que não me deixa parar.



Vestiram-se as árvores de túnicas belas

Encheram-se de luz os vales e montanhas

Brilharam nos céus as estrelas

Minha esperança na terra abriu crateras

Belas melodias soaram de suas entranhas.



E nos mares todos os poderes do mundo

Proa de galera subiram para os céus

As belas hastes dos navios num segundo

Mostraram todos os encantos seus

Em harmonia solene de esperança me inundo.



Canto assim a dor de uma história

Fustigada do que perdera sem o saber ainda

Retomei meu tempo na minha memória

Abracei minha alma que de mim fugia

Esperança que dia após dia rompe a aurora.



Suave vida bebida a lentos tragos

Esperança que sempre terei e não a vou largar

Para trás ficaram meus dias amargos

Que as vicissitudes da vida me fez tragar

Esperança fez de novo o sol brilhar.


(Angelina Alves)








5 comentários:

A Viagem disse...

Seu site é encantador passei um bom tempo nele hoje.
Seus poemas me encantaram gostaria de postar com seu devidos creditos alguns de seus poemas .
Eu jamais pego nada de ninguem sem autorização e sem dar os devidos creditos.
ñ encontrei seguidor no seu site mais carinhosamente convido a seguir o meu.
Um abençoado final de semana beijos ,Evanir.
www.fonte-amor.zip.net

lluviaenelsilenciodelanoche disse...

precioso poema, lleno de amor.
espacio encantador , maravilloso.

besitos

Anita de Castro disse...

poesia alma do poeta

Angelina desejo te uma boa noite um beijino

Shirley disse...

Lindo o Blog, transpira sensibilidade. parabéns

Malu disse...

A esperança é poderosa e pode tudo, basta cultivá-la dentro do coração.
Abraços