sábado, 7 de maio de 2011

" EXTRACTOS"


Não se entra duas vezes na mesma nuvem, mas o amor nunca acaba quando queremos. Há frases que nos vão ficando na memória e esta, eu li e memorizei porque a achei interessantíssima. O amor é misterioso no seu nascimento, ainda mais misterioso no seu crescimento e, insondável na sua morte. Eu tenho-te amado no meu silêncio, tenho - te amado e desejado, mesmo não sabendo mais se existe alguma coisa entre nós, uma vez que trocaste as nossas conversas diárias pelo silêncio. Sinto que o fim do nosso sonho se anuncia como certo. A última vez que nos encontramos já lá vão cinco meses. Reconheço agora que nos nossos gestos silenciosos havia já o rasto da tristeza dos amores perdidos, que são os amores sem futuro. A última vez que falámos ao telefone, quando falaste da nossa distância, eu te dizia que a distância até aproxima as pessoas quando elas têm alguma coisa para dar uma à outra, mas acho que já tinhas começado a desistir de mim. O Natal passou e o silêncio permaneceu entre nós.


No entanto a minha memória guarda-te na minha pele, assim vais ficando, no cheiro, no eco da voz, no sabor da boca, no toque dos dedos de mãos dadas, dos nossos passeios a pé, o teu olhar calado e fixo, atento e preso, muito mais eloquente que mil poemas de amor.

Mas eu sei que voltarás; eu sinto que voltarás, não sei se isto é bom, ou mau, não sei…

Voltarás daqui a meses, ou mesmo anos e até ao teu regresso ficamos os dois a pensar como é que somos suficientemente loucos para viver uma impossibilidade e suficientemente sensatos para não sofrer com ela. No entanto eu tenho mais sorte, porque vou uns passos largos à tua frente: já sei onde é a minha casa e já encontrei a minha missão na terra. Tu procuras ainda muitos caminhos, por isso ainda não podes escolher nenhum.

Gostava que a tua casa fosse o meu coração. Se assim fosse, saberias sempre o caminho de volta, mesmo que o teu espírito nómada e fugidio te leve sempre para as cavernas e tocas, onde te refugias do mundo.

Mas o meu coração é enorme, sabias? Deve ser o equivalente a um T-5 com um quarto em suite, escritório, uma biblioteca imensa, sala de Verão, jardim e piscina, com espaço para os cães, a família e os amigos. Uma lareira sempre acesa e um frigorífico sempre cheio e muitos filmes à espera de noites sossegadas a olhar o por do sol desaparecer pelos vales que se estendem ao longo da minha casa na minha pequena aldeia que tanto te encantou. É lá que eu vou procurar o teu olhar e pensar em ti sem que ninguém me atrapalhe o pensamento.

( Angelina Alves)

1 comentário:

Malu disse...

Passando para deixar um grande Dia das Mães...
Que o Domingo nasça em FLOR...
Abraços