sábado, 20 de agosto de 2011

"O SOL É SEMPRE O MESMO"




O sol é sempre o mesmo
Que brilha no céu azul
Transparente como o cristal
Ora cinza ora verde
E negro quando chove no vale
Há uma cor inesperada
Cai uma neve vermelha
Na doce paisagem avistada...
Os olhos da lua choram
Como pássaros perdidos
Que se atropelam entre si 
Os homens não são entendidos
E, sentem-se miseráveis parados
Há orgulhos em transe
Em pensamentos cortados
Tudo é tão igual tão mecânico táo frio...
Eu, pinto os olhos da lua
Que iluminam o vale atá ao rio
Pinto-os da cor do sol
Para que não morra nua
Da aventura do sonho
Que sobre a terra  cante
A melodia do sol sempre o mesmo
Que me deixe viver cada bocadinho
Da minha vida na contemplação
Do sol do mar e da lua
Na linda paisagem que foi nossa
Que foi minha e tua...
Quero recomeçar
Cada dia e cada noite
Adormecendo vendo o luar
Aquele que me fez contigo cantar
E viver cada dia
Sempre em paz e armonia
Que a neve seja tão branca
E o sol brilhe tanto
Que seque as águas da dor e do pranto...
Que cantem os corações de alegria
Que a vida seja uma doce melodia
Que o amor seja feito de um grande sorriso
Que a terra seja para todos um doce abrigo.

(Angelina Alves"



2 comentários:

Malu disse...

Sim, o SOl é sempre o mesmo porque o CRIADOR é imutável.
Nós, a CRIAÇÃO somos a mutação.
Lindo demais este poema.
Abraços

Nati Caetano disse...

Olá amiga! Cada vez que vejo suas poesias me encanto com os dizeres do Amor,ainda mais qdo tem o Sol caminhando junto.
Bjs e uma Ótima Semana.
Saudadesss!!!